Israel Aece

Software Developer

Evento de Tecnologia em Hortolândia

No próximo dia 01 de junho (terça-feira) acontecerá um evento na UNASP Hortolândia (Centro Universitário Adventista de São Paulo), na cidade de Hortolândia. Para quem é de Campinas e região, este evento acontecerá na sede da universidade, localizada na Rua Pr. Hugo Gegembauer, 265, Parque Hortolândia, à partir das 19:45. Eu palestrarei sobre o Visual Studio 2010 e o .NET Framework 4.0. É importante dizer que a palestra será de nível 100, que além de abordar superficialmente algumas das principais funcionalidades desta nova versão, falaremos um pouco também sobre algumas tecnologias que já existem e estão à disposição desde as versões anteriores. Abaixo temos a descrição da palestra:

Título: Visual Studio 2010 e .NET Framework 4.0
Palestrante: Israel Aece
Descritivo: Esta palestra tem a finalidade de exibir um “tour” sobre a plataforma .NET, e a principal ferramenta que utilizamos para desenvolver aplicações para ela, que é o Visual Studio. A ideia é demonstrar rapidamente a história e a evolução do .NET Framework até a versão 4.0, incluindo assuntos como as linguagens de programação (C# e VB.NET), acesso à dados e aplicações para internet (WebForms, MVC e Silverlight). Logo após, vamos analisar de forma superficial as novidades que estão sendo incluídas na IDE do Visual Studio 2010 e que dão suporte ao desenvolvimento de qualquer tipo de aplicação sobre a plataforma .NET.

Community Launch em Campinas

No próximo dia 20 de março acontecerá um evento chamado de Community Launch. Esse evento será espalhado por todo o Brasil, onde cada região criará o evento e abordará os principais produtos da Microsoft que estarão sendo lançados neste ano de 2010, a saber: Visual Studio 2010, Windows Server 2008 R2SQL Server 2008 R2.

Para quem é de Campinas e região, este evento acontecerá na Universidade UNIP, localizada no bairro Swift, à partir das 09:00 da manhã. Caso você não saiba exatamente onde ela está localizada, consulte este endereço para saber como chegar até lá. Entre as várias palestras, eu sou o responsável por falar sobre Visual Studio 2010 e .NET Framework 4.0. É importante dizer que a palestra será de nível 100, que além de abordar superficialmente algumas das principais funcionalidades desta nova versão, falaremos um pouco também sobre algumas tecnologias que já existem e estão à disposição desde as versões anteriores. Abaixo temos a descrição da palestra:

Título: Visual Studio 2010 e .NET Framework 4.0
Palestrante: Israel Aece
Descritivo: Esta palestra tem a finalidade de exibir um “tour” sobre a plataforma .NET, e a principal ferramenta que utilizamos para desenvolver aplicações para ela, que é o Visual Studio. A ideia é demonstrar rapidamente a história e a evolução do .NET Framework até a versão 4.0, incluindo assuntos como as linguagens de programação (C# e VB.NET), acesso à dados e aplicações para internet (WebForms, MVC e Silverlight). Logo após, vamos analisar de forma superficial as novidades que estão sendo incluídas na IDE do Visual Studio 2010 e que dão suporte ao desenvolvimento de qualquer tipo de aplicação sobre a plataforma .NET.

IMPORTANTE: Apesar do evento ser gratuito, para poder participar é necessário efetuar o cadastro aqui.

Code Snippets para WCF

Tenho escrito diversos hosts de serviços WCF para artigos que tenho escrito bem como para alguns testes que estamos fazendo na empresa onde trabalho. Como a idéia é apenas criar um projeto, na maioria das vezes, do tipo Console para servir de host, tenho que a todo momento instanciar a classe ServiceHost, especificar o tipo do serviço, o endereço, contrato, bindings, endpoints, description, etc.

Isso me levou a criar alguns code snippets (neste momento somente para C#) para automatizar essas tarefas mais comuns, evitando escrever o mesmo código toda vez que preciso criar um host. Neste momento tenho apenas nove snippets que estão me ajudando muito, poupando grande parte do trabalho que antes eu tinha para a criação um serviço/host dummy. Com isso, eu decidi compartilhar esses recursos. Abaixo estão listados cada um deles e suas respectivas utilidades e, entre paranteses, está o atalho que utilizamos dentro do Visual Studio:

  • asyncContract.snippet (asyncContract): estrutura para gerar um contrato assíncrono (BeginXXX/EndXXX).
  • basicServiceHost.snippet (bsh): estrutura do ServiceHost altamente customizável (endereço, bindings, etc.).
  • basicServiceImplementation.snippet (basicServiceImplementation): implementação padrão para uma classe que representa o serviço, podendo definir o contrato, gerenciamento de instancia e concorrencia.
  • callback.snippet (wcfCallback): estrutura para invocar um método de callback.
  • httpDuplexServiceHost.snippet (wsduplexsh): ServiceHost customizado para WSDuplexBinding.
  • httpServiceHost.snippet (httpsh): ServiceHost customizado para BasicHttpBinding.
  • tcpServiceHost.snippet (tcpsh): ServiceHost customizado para NetTcpBinding.
  • webServiceHost.snippet (websh): ServiceHost customizado para WebHttpBinding (Ajax).
  • wsServiceHost.snippet (wssh): ServiceHost customizado para WSHttpBinding.

Para utilizá-los, basta extrair e colocá-los no seguinte endereço: UsuarioCorrente\Documents\Visual Studio 2008\Code Snippets\Visual C#\My CodeSnippets\. Gostaria muito de utilizar os elementos Reference e Imports dentro dos arquivos de snippets para automatizar a referencia ao assembly System.ServiceMode.dll e adicinar a diretiva using para o namespace System.ServiceModel mas, infelizmente, isso é uma funcionalidade que está apenas disponível para snippets escritos para Visual Basic.

Chamadas assíncronas à Serviço via modelo de eventos

O WCF fornece, não por padrão, a possibilidade de invocar as operações de um serviço de forma assíncrona. Quando efetuamos a referencia para um serviço via IDE do Visual Studio 2008 ou através do utilitário svcutil.exe (com a opção /async) automaticamente, além da versão síncrona do método, dois métodos chamados BeginXXX/EndXXX (onde XXX é o nome do método síncrono) são adicionados, permitindo que voce invoque assincronamente uma determinada operação.

Além do tradicional modelo de chamadas assíncronas (APM), temos a possibilidade da chamada assíncrona baseada em eventos. A idéia aqui é, antes de invocar a operação, voce poderá assinar à um evento que será disparado somente quando o processo assíncrono finalizar. Isso evitará de ter um trabalho manual para analisar se o processo finalizou ou não (poll, waiting, etc.). Internamente durante a geração do proxy, o código que é auto-gerado já inclui a implementação necessária para o modelo baseado em eventos.

Basicamente é criado mais uma versão do método, agora com o sufixo XXXAsync que, internamente, faz a chamada para os métodos BeginXXX/EndXXX que, como já sabemos, dispararam a operação de forma assíncrona. Além disso, um delegate do tipo EventHandler<T> também será criado para representar o callback que, quando disparado, invocará o evento do lado de quem está consumindo o serviço. Abaixo um exemplo de como efetuar a chamada assíncrona baseada em eventos:

using (ClienteClient p = new ClienteClient())
{
    p.CalcularComissaoCompleted += 
        new EventHandler<CalcularComissaoCompletedEventArgs>(p_CalcularComissaoCompleted);

    p.CalcularComissaoAsync("2");
    Console.ReadLine();
}

static void p_CalcularComissaoCompleted(object sender,
    CalcularComissaoCompletedEventArgs e)
{
    Console.WriteLine("Fim.");
}

Se notarmos a implementação interna do proxy, veremos que o método XXXAsync faz o uso do método InvokeAsync, da classe ClientBase<T>. Este método está disponível somente a partir do .NET Framework 3.5. Sendo assim, alguns detalhes durante a geração do proxy precisam ser analisados:

  • Via "Add Service Reference": se voce estiver fazendo a referencia em um projeto que esteja utilizando o .NET Framework 3.5 e voce opta pela geração dos métodos que dão suporte ao processamento assíncrono, ele também criará os tipos necessários para suportar o modelo de eventos.
  • Via svcutil.exe: neste caso voce precisará especificar através do parametro /async e, além disso, especificar a versão do .NET Framework através do parametro /targetClientVersion, apontando para Version30 ou, se quiser utilizar o modelo baseado em eventos, utilizar a opção Version35.

#error

Em alguns momentos durante a escrita de um projeto para servir de exemplo para um artigo, eu gostaria de colocar uma diretiva no código para forçar o leitor a antes de executar o mesmo, configurar algo que seja necessário para que o projeto funcione como o esperado. Depois de algumas pesquisa no MSDN Library, a solução que encontrei foi a diretiva #error, que podemos aplicar ao código da seguinte forma:

#error Altere o valor da connectionstring apontando para uma base válida
private const string SQL_CONN_STRING = "Data Source=.;Initial Catalog=DBTest;Integrated Security=SSPI;";

Isso impedirá o usuário de compilar a aplicação sem antes alterar essa informação ou, ao menos, comentá-la. :P

WcfTestClient

O utilitário WcfTestClient.exe que está integrado ao Visual Studio .NET não precisa ser necessariamente incializado a partir de um projeto do tipo WCF Service Library que, por sua vez, tem a finalidade de gerar uma DLL contendo o contrato e implementação do serviço e, o utilitário é utilizado para testá-los, sem a necessidade de criar um host, pois ele já faz isso.

É importante dizer que podemos iniciá-lo a partir do prompt de comando do Visual Studio, passando como parametro uma Url já existente para que possamos testá-lo, sem a necessidade de criar um projeto dummy para isso. Abaixo está o exemplo:

C:\>WcfTestClient http://IADevServer/ServicoDePublicacaoDeArquivos/

Melhorias no WCF com SP1

O Service Pack 1 do .NET Framework 3.5 e o Serviço Pack 1 do Visual Studio 2008 trouxeram algumas melhorias interessantes no WCF:

  • UriTemplate: agora podemos incluir um valor padrão para algum parametro que será invocado via REST. Algo como: [WebGet(UriTemplate = "RecuperarUsuarios/{quantidade=5}")].
  • Atributo DataContract/DataMember: a partir de agora não precisamos explicitamente definir quais são os objetos e propriedades que serão expostos para serviços quando estamos trabalhando com tipos complexos. Ele entende que tudo será exposto. Temos apenas que nos preocuparmos em marcar o que não queremos que seja serializado.
  • Partial Trust: possibilidade de fazer o uso do Event Log em ambiente parcialmente confiável.
  • Hosting Wizard: basicamente é a mesma funcionalidade do "Publish Web Site", mas para um serviço WCF.
  • WCF Options: quando tem um projeto do tipo Wcf Service Library na solução, nas propriedades deste projeto temos uma aba chamada WCF Options. Dentro da mesma, há uma opção chamada: Start WCF Service Host when debugging another project in the same solution. Ao marcá-la, ao rodar qualquer projeto em modo de depuração, o WCF Test Client irá iniciar para tornar o serviço disponível para que outras aplicações na mesma solução o utilizem.

Depurando Host com Client

Durante o desenvolvimento de serviços WCF ou qualquer outra coisa que envolva Host e Client, é comum utilizarmos o recurso de depuração de múltiplos projetos que o Visual Studio fornece. Assim, sempre quando um processo dá problemas (exceções), o outro continua rodando até que, explicitamente, voce o finalize.

Sara Ford dá aqui uma dica interessante para encerrar todos os processos, caso algum deles de problema durante a execução.